sexta-feira, 9 de novembro de 2018

Guião para resumir um texto para estudar ou para avaliação

COMO FAZER UM RESUMO?
 Fazer um resumo de um texto consiste em extrair de um texto mais extenso todas as ideias fundamentais, eliminando os aspectos secundários.
 
Por vezes, parece-te que um texto é demasiado grande e que tem informação "a mais". Fazer bons resumos simplifica a tarefa de estudar, pois aquele texto enorme que te parecia ter demasiada informação fica bem mais fácil de aprender. Ajuda também a transmitir as nossas ideias de forma breve, clara, rigorosa e original.
 
Para fazeres um bom resumo, deverás:
  • Ler o texto e tentar compreendê-lo, identificando as ideias principais parágrafo a parágrafo; para isso, recorre aos sublinhados e aos esquemas, que ajudarão a organizar o texto e os parágrafos. 
  • Escrever o teu resumo respeitando o conteúdo do texto e o pensamento do autor excluindo pormenores desnecessários e substituindo ideias repetidas ou semelhantes por uma única ideia-chave. Não copies frases do texto, tenta utilizar a tua própria linguagem.
No final, deverás ler o teu resumo e avaliá-lo, corrigindo os aspectos que achares necessário. Verifica se tem as ideias principais, se a ideia do autor está respeitada e se o texto se percebe bem. Por fim, aperfeiçoa a linguagem do texto: ortografia, construção de frases, etc.
 
COMO FAZER SUBLINHADOS?
 
Sublinhar é colocar um risco debaixo das ideias, detalhes e notas mais importantes do texto que se está a ler ou a estudar.
Sublinhar um texto é uma forma de estar mais atento e de captar melhor o que se lê.
Com o sublinhado pretende destacar-se aquilo que de mais importante surge no texto.
Permite ainda facilitar a memorização dos conhecimentos e fazer revisões mais facilmente e é meio caminho andado se precisares de fazer um resumo.


Como fazer?
Podes utilizar um lápis ou caneta bicolor, com o vermelho (ou outra cor) sublinham-se os títulos e as ideias mais importantes; o azul (ou outra cor) ficará para as classificações e para as notas explicativas.


Deves também sublinhar as palavras e frases que venham a itálico ou em letra mais carregada (negrito) e tudo o que se encontre de especial interesse.
Podes utilizar diferentes tipos de sublinhados, para distinguires diferentes tipos de ideias.


Regras para sublinhar bem:
Depois de leres o texto, na segunda leitura, tenta distinguir o que é essencial.

  • Selecciona então os elementos de informação mais importantes para sublinhares.
  • Sublinha as frases que contêm esses elementos, de forma que, ao lê-las, de imediato te forneçam a ideia fundamental.
  • Dá mais importância às definições e ideias-chave.
  • Não abuses dos traços e das cores. Em geral, basta destacar uma frase ou duas por parágrafo. Lembra-te que sublinhar tudo é o mesmo que não sublinhar nada.
  • Sublinha de forma que, ao leres só os sublinhados, te lembres de todo o texto (ou tenhas um resumo do texto) e percebas o seu sentido. Assim, quando fores fazer revisões da matéria, terás o trabalho muito facilitado.
  • Sublinha apenas livros pessoais. Não deves sublinhar os livros que te emprestam, seja um amigo ou a biblioteca escolar. Além de ser uma falta de respeito, o sublinhado só funciona bem para quem o fez, pois cada pessoa tem o seu método próprio.

quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Comemoração dos 50 anos da Escola e dos 9 anos de integração da Biblioteca Escolar na RBE

Na passada 2ª feira celebrámos com a devida pompa e circunstância meio século de existência! Tivemos como convidado de honra o nosso patrono D. Fernando II e D. Maria, sua esposa.
Suas majestades e a nossa Coordenadora,
a profª Fátima Macedo

Do passado ao presente... juntos fizemos história!

A Biblioteca Escolar ofereceu brigadeiros de salame à comunidade escolar...


 El Rei D. FernandoII e a rainha acompanhados da Professora Bibliotecária, 
Luísa Azevedo e Silva 




Cerimónia de entrega dos diplomas do Quadro de Valor e Mérito 2017-2018

Foi um dia MUITO especial, em que pudemos contar com a querida presença de antigos profissionais e amigos que marcaram com a sua passagem esta «casa» e que foi um prazer rever.




 
Mas não nos focamos só no passado: fazemos também projetos para o futuro, contando para tal com as gerações mais jovens, cuja evolução vamos acompanhando e orientando.
Venham mais 50 anos!!!

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Regulamento do concurso para o novo LOGOTIPO da BIBLIOTECA ESCOLAR



Agrupamento de Escolas Monte da Lua

Ano Letivo 2018/2019

CONCURSO: CRIAÇÃO DE LOGOTIPO PARA A Biblioteca Escolar

REGULAMENTO

Artigo 1º - Enquadramento
A propósito da comemoração do 50º ano de existência da Biblioteca Escolar / Centro de Recursos Educativos da EB 2,3 D. Fernando II, decidiu-se lançar um concurso para a criação de um logótipo para a referida biblioteca. Esta iniciativa destina-se a toda a comunidade escolar.

Artigo 2º - Disposições gerais
1 – Objetivos
a. Criar o futuro logótipo da Biblioteca Escolar;
b. Envolver toda a comunidade educativa numa iniciativa de produção artística.

2 – Entidade Promotora
A entidade promotora é a Biblioteca Escolar / Centro de Recursos Educativos da EB 2,3 D. Fernando II.

3 – Destinatários
a. O concurso destina-se a todos os pais, alunos e pessoal docente e não docente da Escola Básica 2,3 D. Fernando II.
 b. Cada participante assumirá o compromisso de conhecer e cumprir este Regulamento e acatar as decisões do Júri.

4 – Prémio
Este concurso concederá um prémio de 40€, em cheque FNAC, para o logótipo vencedor.


Artigo 3º - Condições de Participação
1 – Requisitos
Os critérios de apreciação serão os seguintes:
a. Coerência do trabalho, tendo em consideração o objetivo do concurso estabelecido no número 1 do artigo 2º.
b. Legibilidade e clareza do logótipo quando impresso a preto. A imagem gráfica deverá ser de fácil apreensão e leitura e passível de aplicação em diferentes suportes. O logótipo deverá prever a necessidade de utilização de cariz institucional.
c. Criatividade e inovação.
d. Qualidade artística.

2– Entrega
a. Os trabalhos (imagens em ficheiro «jpeg») deverão ser enviadas por correio eletrónico para coordenadorabecre@gmail.com até ao dia 22 de novembro de 2018, inclusive.
b. Os trabalhos deverão ser entregues com indicação do nome, ano e turma, para os alunos e para os professores o nome.
c. Cada candidato pode apresentar o máximo de dois logótipos.
d. Todos os trabalhos apresentados deverão fazer alusão à BECRE e evidenciar um aspeto relevante do nosso patrono D. Fernando II, ficando obviamente ao critério do(a) autor(a) a natureza dessa alusão.

Artigo 4º - Composição e Competências do Júri
1 - Composição
a. O Júri de seleção é constituído por três membros, um elemento da BECRE, um professor de Educação Visual e um representante da Coordenação
b. O presidente da direção da associação de pais terá voto de qualidade.
c. Os membros do Júri serão dados a conhecer oportunamente.

2 - Competências
a. Apreciação e seleção dos trabalhos apresentados a concurso.
 b. Selecionar o trabalho vencedor, bem como atribuir diplomas de participação aos autores dos trabalhos não selecionados, não estando para estes prevista a atribuição de prémios.
c. O Júri reserva o direito de não atribuir prémio, caso os trabalhos não apresentem qualidade requerida.
d. O Júri reserva o direito de apreciar apenas os trabalhos que cumpram todos os objetivo apresentados no presente regulamento.

3 – Decisões do Júri
As decisões do júri não são suscetíveis de recurso.

Artigo 5º - Direitos de Propriedade
1 – Ao participar no concurso, os concorrentes declaram ceder à BECRE os direitos de propriedade dos trabalhos selecionados e aceitar o seu uso.
2 – Ao trabalho vencedor será dado o uso que a Biblioteca Escolar entender conveniente.

Artigo 6º - Disposições finais
1 – Os resultados serão divulgados no dia 12 de dezembro de 2018, no site do Agrupamento e no blogue da Biblioteca Escolar.
2 – Cabe ao Júri decidir sobre os casos omissos neste Regulamento.
3 – Os autores autorizam a eventual reprodução dos trabalhos nas publicações e portais informáticos da escola e da Biblioteca Escolar.
4 – Qualquer pedido de informação complementar poderá ser obtido através endereço de correio eletrónico coordenadorabecre@gmail.com.

Dia das Bibliotecas Escolares - 22 de outubro

 
 
Dia das Bibliotecas Escolares
O Plano Nacional de Leitura 2027 felicita as Bibliotecas Escolares portuguesas pelo seu trabalho diário de formação de leitores.
A biblioteca escolar destaca-se pela sua centralidade física e simbólica, constitui-se como um espaço físico e digital aberto, onde todos são bem-vindos, incrementando a ideia de uma cultura de leitura e escrita nas escolas.
Aprender a ler e ler para aprender são processos fundadores indissociáveis da ideia de educação. É necessário que na escola se leia de todas as maneiras, de forma autónoma e orientada, individualmente, a par e em grupo, em voz alta e silenciosamente, de forma extensiva e intensiva, sempre e em todo o lado, para aprender a manejar a informação de forma ética e crítica, estruturar o conhecimento, melhorar a aprendizagem e aumentar o sucesso educativo.
Com o objetivo de dar resposta a esta necessidade, o Plano Nacional de Leitura e as bibliotecas escolares juntam esforços para, colaborativamente, promoverem:
- a inclusão de períodos diários para a prática individual da leitura pelos alunos, com a iniciativa "10 minutos a ler";
- a gestão e o empréstimo às turmas de caixas com conjuntos de livros iguais para serem lidos sob a orientação do professor;
- a celebração de contratos de leitura autónoma com os alunos, tendo em conta as recomendações e as sugestões do Plano Nacional de Leitura 2027;
- o empréstimo e a circulação de livros entre a escola e a casa dos alunos para a leitura em familia;
- concursos, projetos, iniciativas várias que contribuem para fazer leitores.
1. É essencial que existam espaços, tempos e oportunidades nas escolas para estimular o prazer de ler. A aquisição de hábitos de leitura e do prazer de ler exige uma prática regular da leitura, o envolvimento emocional e a motivação pessoal dos leitores através de um exercício livre e voluntário. O acesso facilitado a um espaço de liberdade, de leitura independente, de iniciativas diversificadas de caráter informal concorre para estimular o prazer de ler e formar leitores para a vida. Sendo também um espaço para brincar e aprender de forma recreativa, a biblioteca escolar desenvolve, através dessa diversão em grupo, as capacidades intelectuais, linguísticas e socioafetivas dos alunos.
2. Hoje não basta saber ler. É necessário ler muito bem, independentemente do que lemos, das razões por que lemos, das linguagens, dos textos, dos meios, dos suportes e dos lugares físicos ou virtuais em que nos encontramos, e para isso é exigida uma competência muito sólida em leitura e escrita. Esta exigência de aquisição de uma nova competência leitora e de novas literacias implica repensar os ambientes e os modos de aprendizagem atuais. As bibliotecas escolares têm, neste contexto, um papel catalisador.
3. A biblioteca escolar é um espaço de leitura funcional e informativa, autónoma, onde se descobre e se sustenta o gosto pelo saber, onde é possível ler, investigar e usar de forma livre e com segurança todo o tipo de recursos, impressos e digitais, independentemente do seu formato e da forma de acesso, presencial ou online.
4. Como não só de literacia verbal se faz hoje a leitura, é também possível na biblioteca desenvolver muitas outras formas multissensoriais que se combinam cada vez mais com a palavra escrita e oral, dando lugar a uma nova multialfabetização ou transalfabetização que também a biblioteca deve acolher.
5. A escrita hoje, induzida por novos ambientes digitais e dispositivos móveis, faz-se maioritariamente em ecrãs, associando-se cada vez mais à oralidade e a outras linguagens e formas gráficas e visuais de comunicar, através do Facebook, do Youtube, do Instagram e de outras redes sociais. Por exemplo, como estratégia de motivação e pretexto para o exercício criativo da leitura e da escrita, pode recorrer-se às práticas correntes de escrita dos jovens em plataformas de Fanfic, grupos de leitura e escrita no GoodReads e Wattpad, produção de booktrailers, aplicações de storytelling, etc.
6. Hoje em dia, não só consumimos mas também produzimos informação. As bibliotecas são um espaço de produção e comunicação da imagem e da palavra, onde é possível aprender a trabalhar com tecnologias, plataformas e ferramentas digitais para a criação, a representação e a partilha da informação e do saber, independentemente da sua natureza, suporte ou formato.
7. A leitura é uma atividade social e as bibliotecas, um espaço público comunitário de encontro, empatia e inclusão, onde é possível socializarmo-nos e abrirmo-nos a outros olhares, realidades e modos de viver, ler e sentir.
8. As bibliotecas escolares são, igualmente, um espaço performativo de fruição estética e expressão cultural, onde se pode participar em atividades festivas, eventos artísticos e experiências vivas de leitura explorando a dimensão ostensiva, cénica e pragmática da leitura e dos textos
Aos professores bibliotecários, aos coordenadores interconcelhios, aos docentes e a todos aqueles que, todos os dias, constroem leitores nas e com as bibliotecas escolares, uma saudação especial no Dia das Bibliotecas Escolares.